Utentes

ÚLCERA PÉPTICA - ÚLCERA DO ESTÔMAGO E ÚLCERA DO DUODENO

Dr. Carlos Carvalheira



Como se faz o diagnóstico ?

A endoscopia tornou-se o método de eleição para demonstrar a existência da úlcera. A radiologia do estômago e duodeno mesmo com duplo contraste é hoje uma técnica pouco utilizada. Admite-se que a endoscopia possa fazer um diagnóstico correcto em mais de 95% das úlceras.

A úlcera do estômago deve sempre ser biopsada para se ter a certeza que não é um cancro do estômago ulcerado. Essa certeza deve ser confirmada com nova endoscopia e biopsia 4 a 6 semanas depois. Estes cuidados não se justificam para a úlcera do duodeno que nunca é um cancro ulcerado.



Como se trata a úlcera do estômago e do duodeno?

Não tem indicação nenhuma dieta com restrição deste ou aquele alimento, nem se deve utilizar o leite como tratamento. Esta prática seguida durante mais de um século continuou a ser praticada, durante mais de 50 anos, depois de se ter demonstrado a sua inutilidade.

Nas úlceras associadas ao Helicobacter pylori o médico faz o tratamento durante 7 dias com um medicamento anti-secretor ( que inibe a secreção de ácido no estômago ), associado a dois antibióticos ( terapêutica tripla ). Nas úlceras sem Helicobacter pylori, associadas aos anti-inflamatórios o médico emprega os anti-secretores durante 4 a 8 semanas e depois, como prevenção, sempre que forem utilizados os anti-inflamatórios.

O tratamento cirúrgico da úlcera do estômago e do duodeno que, durante um século - 1870 a 1970 - foi considerado o tratamento de eleição, perdeu peso quando na década de 70 apareceram os primeiros anti-secretores, os antagonistas dos receptores H2 ( H2RA ) e reduziu-se quase a zero, com a descoberta do Helicobacter pylori e do seu tratamento. O tratamento cirúrgico da úlcera é hoje raro e, apenas reservado, a algumas complicações, alguns casos de hemorragia, perfuração e estenose.



A úlcera do estômago pode transformar-se em cancro?

O que pode acontecer é, o cancro  manifestar-se com o aspecto de úlcera benigna. Por isso a úlcera do estômago é sempre biopsada para se ter a certeza de que não se trata dum cancro.

O médico que faz a endoscopia, quando observa uma úlcera, quase sempre pode, pelo aspecto da base e dos bordos da úlcera dizer se a úlcera é benigna ou se é um cancro mas, para ter a certeza absoluta, colhe alguns fragmentos da úlcera para serem observados ao microscópio por um médico patologista. E para não haver nenhum engano recomenda-se fazer nova endoscopia  4 a 6 semanas depois.







Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.