Utentes

Sapinhos na boca

São pequenas manchas brancas no interior da boca que, nos bebés, se confundem com restos de leite: os sapinhos" são causados por um fungo que também afecta as pessoas com o sistema imunitário fragilizado.



Sapinhos na boca

São conhecidos como "sapinhos" e causados pela candida albicans, um fungo muito comum no ambiente e com o qual o corpo humano está, pois, em contacto com frequência.


Tal com os microorganismos da mesma família, este fungo prefere ambientes húmidos - daí que tanto se possa instalar no interior da boca como na vagina, dando origem a infecções.


Os bebés são particularmente vulneráveis pois o sistema imunitário não está ainda completamente desenvolvido. As defesas são mais frágeis e, com facilidade, os fungos se acumulam: o sinal do seu crescimento na boca são pequenas manchas esbranquiadas no palato, na língua e no interior das bochechas.


Estas manchas confundem-se com restos de leite, mas há uma forma simples de as distinguir: é que os pequenos depósitos de leite removem-se facilmente com a ajuda de uma compressa, sem deixar marca, enquanto os "sapinhos" aderem às mucosas e, quando saem, causam irritação e até sangramento.


Além das manchas outros sinais da candidiase oral - nome técnico dos "sapinhos" - podem estar presentes: o bebé pode apresentar alguma irritabilidade e perder o apetite, pois a sucção - seja do mamilo materno seja da tetina - pode causar-lhe incómodo.


 


Da mãe para o bebé e vice-versa


Os "sapinhos" podem ser contraídos logo no momento do parto, por contacto com o canal vaginal da mãe: se nele proliferarem fungos, é possível que passem para o bebé. Pode iniciar-se assim um ciclo vicioso, sobretudo se o bebé for amamentado: é que, uma vez infectado, pode transferir a infecção para o mamilo materno, deixando-o sensível e avermelhado, sendo que a pele à volta dos mamilos tende a descamar.


Amamentar pode, então, ser doloroso. Sem tratamento, a infecção vai e vem entre o mamilo da mãe e a boca do bebé.


Mas há outra forma de contágio, também com risco de reinfecção: o contacto com tetinas, chuchas e outros objectos manipulados com pouca higiene. Basta que a tetina do biberão não tenha sido rigorosamente esterilizada para que o fungo sobreviva e regresse à cavidade oral do bebé. Ou que as mãos dos adultos não sejam lavadas antes de manipular objectos que vão estar em contacto com o bebé.


Daqui se depreende que a higiene é essencial para controlar os "sapinhos": há que esterilizar ou ferver biberões, tetinas e chuchas e lavar as mãos antes de os manipular. Também é importante remover os vestígios de leite após cada refeição: uma gaze esterilizada e embebida em soro fisiológico e gestos suaves permitem limpar a boca do bebé e assim evitar que os fungos adiram e se desenvolvam.


Estes cuidados podem não ser suficientes e tanto a mãe como o bebé podem beneficiar de tratamento antifúngico: o médico pode recomendar uma solução suave para o bebé e um creme para a mãe, a aplicar nos mamilos infectados.


[Continua na próxima página]









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.