Utentes

Coração sob pressão

Quando o sangue encontra resistência no seu caminhar pelas artérias, o coração é obrigado a um maior esforço: o resultado pode ser a hipertensão. Previna-a: com mais exercício e menos sal e medindo os seus valores de pressão arterial.



Coração sob pressão

Sabe quais são os seus valores de pressão arterial e o que eles significam? Uma resposta positiva a ambas as questões indica que está no bom caminho para prevenir a hipertensão, uma das principais ameaças à saúde do seu coração.


A pressão arterial é a força que o sangue exerce sobre as paredes das artérias em que viaja para levar o oxigénio às diferentes partes do organismo. É uma pressão normal e necessária para facilitar a passagem do sangue. Mas, quando o sangue encontra resistência pelo seu caminho, tem de exercer uma força maior para passar, o que obriga o coração a trabalhar mais. Fala-se então em hipertensão, uma doença de que sofrem dois milhões de portugueses, que tem várias causas, sendo, no entanto, a hipertensão essencial ou primária (em que não há causa identificável) responsável por cerca de 90 a 95 por cento dos casos.


É uma doença crónica, mas que se controla com alterações no estilo de vida e com medicamentos. Contudo, são ainda muitos os doentes que não o fazem, com risco de insuficiência cardíaca: se o coração é sujeito continuamente a um esforço intensivo
acaba por ficar enfraquecido e deixar de funcionar correctamente.


 


Medir é prevenir


A hipertensão evolui silenciosamente, sem sintomas, pelo que o primeiro dos cuidados deve ser medir a tensão com regularidade. Mesmo que se seja saudável, deve medir-se pelo menos uma vez por ano - é meio caminho andado para a prevenção.


Pessoas com factores de risco, como diabetes, obesidade e tabagismo, ou com antecedentes de doença cardiovascular, devem medi-la mais frequentemente.


Mas não basta medir: é preciso saber o que significam os valores - são sempre dois valores, o que se apresenta primeiro mais elevado do que o outro. São valores que correspondem à chamada pressão máxima (sistólica), equivalente à pressão que o sangue exerce nas paredes das artérias quando o coração está a bombear, e à pressão mínima (diastólica), que corresponde à fase de repouso do coração. O limiar para a hipertensão arterial deve ser considerado flexível, sendo mais ou menos elevado, dependendo do perfil de risco cardiovascular global de cada indivíduo.


É considerado normal quando a pressão arterial sistolica se situa entre os 120 e 129 e a diastólica entre 80 e 84 mmHg, ou seja cerca de 120/80 (12/8 como é habitualmente lida).


Medir é essencial porque, caso sejam identificados valores superiores aos considerados normais, é possível agir sobre eles, corrigindo-os. E essa correcção pode envolver apenas a alteração do estilo de vida, com as mesmas medidas que ajudam a prevenir a hipertensão.


Uma delas passa por fazer uma alimentação saudável, reduzindo o consumo de sal - as ervas aromáticas e o sumo de limão são boas alternativas para dar sabor aos alimentos. O sal de mesa deve ser posto de lado. E todos os alimentos em cuja preparação entre o sal, como enlatados, enchidos, aperitivos, comidas pré-preparadas, devem ser consumidos com muita moderação. A moderação também é aconselhada nas gorduras e nas bebidas alcoólicas.


Também na hipertensão a actividade física ajuda, sendo preferíveis os exercícios com movimentos cíclicos como a natação, a marcha e a dança. O esforço excessivo, presente, por exemplo, quando se levantam pesos, deve ser evitado pois faz disparar a pressão arterial.


Perder peso e diminuir o stress também fazem parte da intervenção, quer na prevenção, quer no tratamento da hipertensão. Quando não é suficiente e os valores continuam elevados, é necessário o uso de medicamentos - são os anti-hipertensores. E aqui é fundamental respeitar as indicações médicas, tomando os remédios na dose e no horário certos para conseguir uma pressão mais saudável.


Do que se trata é de facilitar a vida do coração, para que ele faça chegar o sangue a todas as células sem grande esforço.









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.