Utentes

Novo tratamento para a Psoríase do Couro Cabeludo garante maior qualidade de vida para o doente

Carla Rodrigues

Frequentemente confundida com a vulgar "caspa", a Psoríase do Couro Cabeludo é uma das manifestações mais comuns da Psoríase, situação que pode afectar até cerca de 79% dos doentes psoriásicos.



Ao contrário de outras zonas do corpo que podem ser escondidas pelo vestuário, na Psoríase do Couro Cabeludo é a sua localização que mais afecta os doentes em termos psicológicos e emocionais, uma vez que se trata de uma área exposta e normalmente de elevada carga estética e simbólica.


Tendo em vista a resolução do problema e a garantia de uma maior qualidade de vida aos seus portadores, encontra-se agora disponível no mercado um novo tratamento com uma formulação inovadora - em champô - que vem garantir melhor comodidade aos doentes psoriásicos, melhorando a qualidade de vida destes.


Trata-se do primeiro tratamento com corticosteróide tópico de curto contacto - especialmente desenvolvido para melhorar casos específicos deste tipo de Psoríase - que combina a eficácia comprovada dos corticosteróides, mas sem o risco dos efeitos adversos graves associados a estes, numa formulação cómoda, em champô, de uma só aplicação diária.


Ao contrário dos tratamentos actualmente disponíveis no mercado para a Psoríase do Couro Cabeludo, em que grande parte deixa um odor desagradável no cabelo, oleosidade e falta de brilho, esta nova solução apresenta na maioria dos doentes resultados visíveis ao fim de duas semanas de tratamento, é cómodo e fácil de utilizar, de aplicação diária, ausente de cheiro e não gorduroso, que lava o cabelo deixando-o com um aspecto agradável.


De acordo com um estudo do Observatório Nacional de Saúde realizado em 2004 (ONSA), existem em Portugal cerca de 124 mil pessoas que sofrem de Psoríase e, destas, 98 mil têm envolvimento do couro cabeludo. Reacções emocionais de vergonha, embaraço, autoconsciência e comiseração, ansiedade, hostilidade, desespero e depressão, são apenas algumas das consequências psicológicas desta doença que, além de se fazer sentir na pele, deixa marcas bastante mais profundas.


Em termos de consequências desta patologia nos sistemas de saúde, calcula-se que represente cerca de 1% da despesa total de saúde nos países europeus, contribuindo ainda para o absentismo por doença e custos económicos indirectos substanciais. Apesar de algum investimento feito em Portugal na área da Psoríase, continuam a subsistir lacunas.


O envolvimento do couro cabeludo pode ser controlado eficazmente com medicamentos tópicos, poupando recursos de saúde que podem ser aplicados aos casos muito graves. Alguns destes medicamentos tópicos são produzidos especificamente para responder a essas lacunas, entre elas a dificuldade dos doentes em cumprirem, no dia a dia e por rotina, a terapêutica prescrita pelo médico.









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.