Utentes

Congestão nasal: Para além do “nariz entupido”



Sabia que…


Alguns anti-histamínicos podem causar sonolência, devendo ser tomados preferencialmente à noite, antes de deitar.


O uso prolongado de descongestionantes de acção local pode agravar os sintomas de congestão nasal. Tanto os descongestionantes de acção local como os sistémicos são contra-indicado sem doentes com glaucoma e devem ser usados com especial precaução em doentes com problemas cardíacos, hipertensão, diabetes mellitus e hiperplasia benigna da próstata.


 


Bebés e crianças


Nos bebés, a congestão nasal pode interferir com o acto de mamar, ou, quando tal já não se aplica, com a alimentação. Os bebés devem, por isso, merecer cuidados particulares. Um deles passa pela utilização de um aspirador nasal para limpar as secreções, uma vez que os bebés e crianças muito pequenas não sabem assoar-se. Se, ainda assim, não for fácil a sua remoção, poderá ser usada uma solução salina, que permite fluidificar as secreções facilitando a sua remoção e a desobstrução das vias respiratórias. No caso dos bebés com menos de dois meses, se a congestão nasal for acompanhada de febre, deve ser procurada ajuda médica.


Nas crianças mais velhas, a congestão nasal pode ser apenas um sintoma passageiro, mas pode em alguns casos, se persistente, interferir com a audição, o desenvolvimento da linguagem e até com o sono, caso esteja associada a episódios de apneia (breves paragens respiratórias durante o sono). Nestes casos, é necessária a máxima atenção e, eventualmente, a procura de aconselhamento profissional.









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.