Utentes

Pai dos dias de hoje partilha tarefas na vida familiar

João Tomásio

A emancipação feminina alterou a dinâmica familiar e hoje o homem está mais participativo nas tarefas familiares. Não só gere tarefas domésticas como intervém activamente na vida do filho. Foram estas as principais conclusões do debate à volta do papel dos ‘Pais no Século XXI', durante as VIII Jornadas de Saúde do Centro de Saúde de Sacavém (I Jornadas Loures-Sacavém).



Pai dos dias de hoje partilha tarefas na vida familiar

A nova imagem do homem enquanto metrossexual mereceu também atenção, assim como o adolescente e o desenvolvimento da sua saúde nesta fase de transformações.


O papel actual da figura de pai esteve em debate no 1º dia das VIII Jornadas de Sacavém, a decorrer em Santa Iria da Azóia. A sociedade actual impõe uma exigência sócio-profissional que afasta os pais da tarefa de educar os filhos. Ao longo dos séculos, a sociedade atribuiu ao pai o papel de sustentar a família e à mãe o papel de criar os filhos e cuidar da casa. A emancipação feminina e a integração da mulher no mundo laboral alteraram a dinâmica familiar.


Por outro lado, o homem tem cada vez mais preocupação em se cuidar, daí o aparecimento de novas tendências.


‘A metrossexualidade tem que ver com uma afirmação social, profissional e sexual. O homem acha que uma boa imagem está associada a um homem de sucesso', afirma Biscaia Fraga, Director do departamento de Cirurgia Plástica da Cabeça e Pescoço d Centro Hospitalar de Lisboa ocidental E.P.E..


Segundo o especialista existem dois motivos: razões pessoais e a sociedade que rodeia o homem. Há profissões que exigem uma nova imagem, e que a pessoa tenha uma apresentação adequada. Isso consegue-se através dos cuidados da aparência. A forma de vestir, de estar, os cuidados com a pele, com o cabelo. Esses cuidados chegam também à cirurgia plástica, em especial ao rejuvenescimento facial e à mudança do aspecto e da forma, em situações que o próprio considera menos adequadas. As mais procuradas, no homem, são o nariz, as pálpebras, as orelhas e a gordura a nível mamário e do abdómen.


 


A adolescência


As principais causas de morte na adolescência têm razões comportamentais e ocorrem sobretudo através da violência, do suicídio e dos acidentes. De uma forma geral, os adolescentes recorrem pouco aos centros de saúde, funcionando o Exame Global de Saúde como uma oportunidade privilegiada para o contacto com o doente jovem. Dados do Centro de Saúde de Loures relativos a 2007 revelam que cerca de 30% dos adolescentes entre os 11 e os 13 anos realizaram o exame. Outros dados atestam que os rapazes, com apenas 9%, têm uma tendência muito inferior ás raparigas, com 91%, para procurar o centro de saúde.


Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a fase da adolescência situa-se entre os 10 e os 20 anos, altura em que os adolescentes enfrentam desequilíbrios extremos do ponto de vista social. Época em que começam a perder os direitos privilegiados que gozavam enquanto crianças.


Para o segundo dia do evento, estarão em destaque várias patologias associadas ao homem, como a disfunção eréctil, o cancro da próstata, a roncopatia, a andropausa, e a doença mental no masculino. Sobre este último tema, serão abordadas três patologias muito frequentes: as demências, o alcoolismo, e o stress pós-traumático.









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.