Utentes

Bons motivos para consumir peixe durante a gravidez

Cláudia Pinto

A gravidez é uma fase da vida da mulher em que esta deve dar particular atenção à sua alimentação. Nesta edição, damos-lhe a conhecer os benefícios do consumo de peixe durante a gestação e quais os cuidados a ter ao consumi-lo.



Bons motivos para consumir peixe durante a gravidez

Durante a gravidez, a alimentação deverá ser equilibrada e variada. Não será necessário "comer por dois" ou privar-se totalmente daquilo de que mais gosta, mas deve ter o cuidado de aumentar a ingestão de frutas e de legumes e de limitar o consumo de alimentos ricos em sal e em açúcar.

"Além de saboroso, o peixe é um alimento muito nutritivo. É rico em proteínas e possui elevado teor de minerais, com especial referência para o cálcio, o fósforo, o iodo e o cobalto. Além disso, é também uma fonte importante de vitaminas, A, D e B", diz-nos Aline Denise Maia, nutricionista.

Visto ser um alimento rico em ácidos gordos ómega-3, fundamentais para o saudável desenvolvimento do bebé, o peixe "favorece o aumento do peso do feto e prolonga o tempo de gestação, prevenindo em simultâneo o risco de parto prematuro. Estes ácidos gordos favorecem o desenvolvimento do sistema nervoso central, o desenvolvimento cognitivo, da visão e do sistema imunitário do feto, prevenindo o aparecimento de doenças cardiovasculares".


 


Que peixe evitar?


Apesar de a ingestão de peixe ser importante e aconselhada, há alguns cuidados a ter aquando da sua escolha e consumo.

"A mulher grávida deve preferir peixes de água fria como a sardinha, o arenque, o salmão, a truta, o bacalhau e o linguado", defende Aline Denise Maia.

Os peixes de grande porte e de maior profundidade, segundo a nutricionista, devem ser consumidos com maior cuidado e moderação. "É o caso do peixe-espada, da cavala, do tubarão e das conservas de atum. Estes peixes, devido à sua riqueza em gordura e por serem de águas mais profundas, apresentam elevados níveis de mercúrio, de PCB (bifenil policlorados) e de dioxinas que podem prejudicar o desenvolvimento celular e do sistema nervoso do feto."

Os peixes de rio são também de evitar, pois podem estar em contacto com águas contaminadas. Os mariscos fumados e crus constituem também um risco. Durante a gravidez, evite as ostras, as lapas e o sushi.


 


Como comprar peixe de qualidade?


O peixe é um alimento altamente perecível, pelo que são necessários alguns cuidados na altura da sua aquisição.

"Quando comprar peixe fresco, tenha em atenção que os olhos devem estar brilhantes e de aspecto vivo, as guelras devem estar bem vermelhas, a carne deve ser firme e de cor branca-rosada, as escamas devem estar bem aderentes à pele e o cheiro deve ser agradável", aconselha Aline Denise Maia.

Evite comprar mistura de peixes já cortados e arranjados, pois corre o risco de serem aproveitamentos!


"Relativamente à compra de peixe congelado, deve ter em conta que este mantém sabor e valor nutricional semelhante ao do peixe fresco (desde que devidamente manipulado e conservado), tendo a vantagem de ser um alimento microbiologicamente mais seguro e também mais económico", assegura a nutricionista desmistificando algumas ideias falsas sobre este tipo de produto. Ainda assim, tenha em conta as condições de congelamento, "verificando se a embalagem está hermeticamente fechada e se no seu interior não existe gelo solto, sinal de descongelamento anterior", adianta a nutricionista. A temperatura de congelação deve ser inferior a -18ºC e o tempo de congelação não deve ser superior a 2 meses.

Durante a gravidez, que mais não é que um verdadeiro "estado de graça", consuma peixe em alternância com a carne, cerca de 2 a 3 vezes por semana. Quando optar por peixes enlatados, prefira os conservados em água, pelo menor teor de gordura.

"A confecção de peixe é extremamente versátil. Sugiro-vos os ensopados, os assados (com pouca ou nenhuma gordura) os grelhados, os estufados (em cru) e os cozidos. Pode ainda temperá-lo com sumo de limão para que fique mais saboroso e suculento e dar asas à imaginação e ao olfacto utilizando as ervas aromáticas." Depois de todas estas vantagens, Aline Denise Maia questiona: encontra ainda alguma desculpa para não comer peixe?









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.