Utentes

Novos dados demonstram a eficácia de Zebinix® no tratamento da epilepsia

Helena Rocha

Antiepiléptico de BIAL evidencia melhoria significativa na qualidade de vida dos doentes e redução de sintomas depressivos. Resultados positivos de três estudos de Fase III, apresentados ontem no 8º Congresso Europeu de Epileptologia, Berlim, Alemanha, demonstraram que Zebinix® [1] (acetato de eslicarbazepina), um antiepiléptico inovador do grupo BIAL, de toma única diária, reduziu significativamente a frequência de crises parciais em doentes com epilepsia refractária, em combinação com outros agentes anti-epilépticos.[2,3,4] (Zebinix® é um dos nomes comerciais propostos na UE para o acetato de eslicarbazepina).



Novos dados demonstram a eficácia de Zebinix® no tratamento da epilepsia

O tratamento com Zebinix® também melhorou significativamente a qualidade de vida dos doentes, diminuiu os sintomas depressivos e demonstrou uma redução na frequência das crises parciais, sustentada durante o período de tratamento aberto com a duração de um ano.[5,6,7]


"Ao avaliar o potencial dos agentes antiepilépticos é importante considerar as suas implicações na qualidade de vida diária de um doente, assim como no controlo eficaz das crises," disse o Professor E. Ben-Menachem, Universidade de Gotemburgo, Suécia. "Além da redução na frequência das crises, Zebinix® também demonstrou uma melhoria significativa na qualidade de vida do doente e na redução de sintomas depressivos."


O Professor Christian Elger, Director e Chefe de Departamento de Epileptologia na Universidade de Bona, Alemanha, acrescentou: "Estes dados sugerem que Zebinix® pode tornar-se uma opção para o tratamento de doentes não controlados adequadamente com os actuais antiepilépticos disponíveis."


A epilepsia é uma das doenças neurológicas mais comuns, afectando quase uma em cada 100 pessoas.[8] O tratamento das crises parciais, o tipo mais comum de epilepsia, representa um desafio constante, atendendo a que mais de metade dos doentes não conseguem controlar as crises com os fármacos antiepilépticos existentes.[9]


Zebinix®, primeiro medicamento a ser desenvolvido por uma empresa portuguesa, BIAL, inibe selectivamente as células nervosas que estão na origem das crises epilépticas. Este medicamento foi desenvolvido para satisfazer a necessidade de um novo fármaco antiepiléptico capaz de oferecer uma redução na frequência do número de crises, associado a um perfil de tolerabilidade aceitável. Zebinix® está em processo de revisão pela Agência Europeia do Medicamento (EMEA) para o tratamento das crises parciais de epilepsia com ou sem generalização secundária, em associação com outros agentes antiepilépticos.


 


Sobre os ensaios clínicos
Os três ensaios clínicos de Fase III realizados, multicêntricos, randomizados, controlados com placebo, envolveram mais de 1.000 doentes de 23 países. Estes tinham antecedentes de pelo menos quatro crises parciais por mês, apesar de se encontrarem em tratamento e de estarem medicados com até três fármacos antiepilépticos.[2,3,4]


Durante os ensaios, os doentes foram randomizados em dois grupos, Zebinix® ou placebo e, depois de um período de titulação de 2 semanas, foram avaliados durante um período de manutenção de 12 semanas, seguido de acompanhamento contínuo durante um ano de tratamento aberto.[2,3,4,7]









Nota: Os Médicos têm que fazer login para pesquisar informação restrita.